ThetaHealing e a Maternagem

Os Veterinários e o ThetaHealing
25 Janeiro, 2019

Ser mãe deve ser uma escolha e, à partir desta escolha, abre-se um universo de descobertas, desafios e crescimento.

Discernir nosso desejo de atuação no mundo das projeções da sociedade, de um patriarcado atuante ou de idéias machistas sobre funções para a mulher e para o homem é uma grande reflexão. Quando começamos a viver o ThetaHealing no dia a dia, temos clareza das crenças coletivas, crenças genéticas e históricas e programas subconscientes limitantes ligados ao feminino.

Viver desde a gestação acolhendo cada fase, trabalhar nas expectativas e medos sobre o parto, sobre ser (ou não ser) como sua mãe foi, sobre ser você mesma, se acolhendo nas frustações, no não saber e na imensidão de amor que é acompanhar o desenvolvimento de outro ser vivo.

Quando aprendemos o Trabalho de Crenças do ThetaHealing, resolvemos questões a nível genético que estão no nosso subconsciente e, quando liberamos estes programas, eles não mais se manifestam em nossa descendência.

Ser mãe é um instinto de toda mulher?
Ser mãe é viver sempre com culpa?
Eu só serei mãe de verdade se engravidar?
Ser mãe é abrir mão da profissão?

Vivemos inseridos em muitas crenças e modelos do que é ser mãe e de como uma mãe deve agir, o que deve escolher e que emoções as mães estão autorizadas a sentir. 
Viver o autoconhecimento nos deixa libertos para experienciar as escolhas da maternagem, abandonando projeções das famílias e consentindo-se enquanto mãe nesta nova vida.

Com o ThetaHealing temos a ferramenta do Eu Superior, que nos permite trabalhar a nível celular com o bebê ainda no ventre da mãe ou já nascido. Pode-se fazer limpeza energética e trabalho de crenças no bebê, trabalhando algumas doenças e desordens, além dos trabalhos energéticos na mãe, para que ela viva com saúde a jornada da maternagem, trazendo sua rede de apoio para perto, atraindo as pessoas perfeitas que darão acolhimento e sustentação. Para que cada mãe possa acompanhar outras mães sem julgar as escolhas destas mulheres sobre a maternagem.

Que possamos abraçar e honrar a energia do cuidar que acompanha as mães, que possamos acolher e fortificar cada ser que se propõe a grande e valiosa jornada de ser mãe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *